Thiago França lança o disco Sambanzo, Etiópia

Saiba detalhes, ouça na íntegra e faça o download de um dos discos mais versáteis do ano; grupo se apresenta amanhã no Sesc Pompeia

Ter trabalhado tanto em discos de inúmeros artistas que vão de Criolo a Céu possibilitou a Thiago França selar livremente sua identidade nos instrumentos de sopro. Empunhado com o seu sax tenor, agora é ele quem está no comando. Mas, claro, junto a parceiros musicais indispensáveis: Marcelo Cabral (baixo) e Kiko Dinucci (guitarra), que o acompanham em outros projetos (MarginalS, Metá Metá), além de Pimpa (bateria) e Samba Sam (percussão). Sobre como se iniciou o projeto do Sambanzo, falo aqui.

A grande novidade é que finalmente o disco Sambanzo, Etiópia foi disponibilizado na rede. Com 7 faixas que somam um total de 44 minutos, o disco tem produção do próprio grupo mais Rodrigo Campos e foi gravado no estúdio YB por Diogo Poças, Emilio Minduca e Léo Mendes.

Como o próprio Thiago disse, o disco é recheado de momentos dançantes. É o trabalho mais autoral de sua carreira, e é possivelmente um dos álbuns brasileiros deste ano que melhor atendem à essência de jazz afro-latino. Você pode até vislumbrar Mulatu Astatke em uma faixa como “Etiópia”, mas vai perceber como também emerge uma proximidade com o Bossa Jazz Trio.

Ainda que seja um disco dançante de ‘gafieira universal’, há muitas improbabilidades que vão te surpreender – surpreender no sentido de fazer você querer dançar mais. “Xangô” começa com um funk potente acelerado pelas guitarras de Dinucci e Thiago vai acompanhando com o sax, até que ele manda solos potentes que lembram os momentos mais espetaculares de King Curtis.

Toda aquela viajeira espaçosa típica de Thiago França não poderia faltar. Essa habilidade bem explorada no MarginalS aparece já no interlúdio de “O Sino da Igrejinha”, faixa que abre o disco.

Apesar do suposto tema africano, Sambanzo, Etiópia é mais versátil do que você pode imaginar: tem uma espécie de lambada em “Tilanguero” e um forró ágil que lembra a sessão instrumental dos forrós ‘rala-bucho’ que tocam em botecos na canção “Risca-Faca”. Sem falar do hard bop com todo o requinte latino em “Xangô da Capadócia”.

Para fazer o download do disco Sambanzo, Etiópia, basta clicar aqui.

Amanhã, dia 13 de março, Thiago França vai apresentar no Sesc Pompeia o show inagural do disco pela curadoria do Prata da Casa. O show será às 21h e é na faixa. Para conferir detalhes, visite o site do Sesc.

Para sentir a potência do disco, ouça na íntegra no player abaixo:

Share this post

Tiago Ferreira

Editor do Na Mira desde 2010. Já trabalhei como redator de comunicação interna, produtor de conteúdo da B2W (Americanas, Submarino e afins) e atualmente sou repórter de notícias, ciência e tecnologia no Vix.com. Também sou colaborador eventual da Revista da Cultura (da Livraria Cultura).

Poste um novo comentário