Felicidade e ficção se entrelaçam no rock do Jetlag - Na Mira do Groove

Felicidade e ficção se entrelaçam no rock do Jetlag

Grupo de Maceió faz um pop/indie com riffs dançantes e acaba de lançar o disco Felicidade Intermitente. Conheça mais sobre a banda e faça o download do álbum

O rock nacional vive um bom momento. Não que o estilo tenha se renovado completamente ou criado um diálogo com novos aparatos eletrônicos – ainda que eles ajudem bastante.

A abrangência do cenário independente e o alastramento das ferramentas possíveis com a internet têm um bom mérito para tal conquista do ritmo. Assim, além dos artistas conseguirem ultrapassar com mais facilidade a trincheira para chegar ao público, os ouvintes têm mais opções de escutarem aquilo que gosta, conhecerem novos estilos.

Enfim, chega de teorizar. O negócio é que o rock está fervendo sim, mas quando se fala de alguma banda nordestina, rapidamente faz-se uma ligação com o manguebit ou com outros elementos regionais. Com a banda Jetlag, de Maceió (AL), isso não acontece.

A primeira coisa a observar ao ouvir o disco Felicidade Intermitente (disponível para download gratuito no site oficial da banda) é que o sotaque não se sobressai. Ao invés da eloquência nas composições, o grupo prefere investir em letras mais cantaroláveis, que falam de amor, solidão, sentimentos, cotidiano.

Nos momentos em que a guitarra solista de Joca Braga entra, vemos que o rock californiano, clara referência da banda, se impõe.

Além de Joca, fazem parte da banda o vocalista/violonista/guitarrista Gustavo Guri, o baixista Lucas Novaes e o baterista Rodrigo Tubarão, que também faz backings. Todos os músicos já estão na cena há algum tempo e mantêm grupos paralelos.

Das 12 faixas do disco, destaque para “Meus Prazeres” que, com seu riff dançante, faz uma ponte entre o The Black Keys e os Autoramas. O solo com efeitos wha-whas na guitarra de Joca deve cair no gosto de um bom fã de rock’n roll.

O nome da banda, Jetlag, se justifica na música “Fusão”, um indie descontraído que fala de ficção científica: “Eu transportarei/Por todas estas dimensões”, canta Gustavo em meio a devaneios construídos por imagens à lá George Lucas e Steven Spielberg.

Ouça a seguir o disco Felicidade Intermitente, recém-lançado pela banda:

Jornalista bem-humorado. Colaborou com publicações como Scream & Yell, Revista da Livraria Cultura e Revista Brasileiros. É o cara que mantém o Na Mira do Groove.

Latest posts by Tiago Ferreira (see all)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comente

Felicidade e ficção se entrelaçam no rock do Jetlag - Na Mira do Groove