ESPECIAL Bob Marley: As 20 Melhores Canções (Parte I) - Na Mira do Groove

ESPECIAL Bob Marley: As 20 Melhores Canções (Parte I)

Na primeira parte da seleção, confira da 20ª à 11ª canção

Toda lista é perigosa de se fazer, ainda mais de um artista tão secular como Bob Marley. Mas, na data em que se comemora os 30 anos de sua partida definitiva, resolvi arriscar e vou colocar a minha playlist pessoal das músicas que mais gosto do artista.

Claro que peneirar tudo isso foi algo muito complicado. Algumas que gosto bastante, bastante mesmo, ficaram de fora, como “Small Axe”, “Could You Be Loved”, “Punky Reggae Party” etc, etc, etc.

Algumas são do conhecimento de todos, enquanto outras refletem um lado mais pessoal e até mesmo intrincado da carreira de Bob Marley – muito por conta de sua trajetória turbulenta. De qualquer forma, segue abaixo a primeira parte do Top 20. Coloque nos comentários suas músicas favoritas do rei do reggae também!

20. “Get Up, Stand Up” (1973)

Álbum: Burnin’
Canção para levantar o astral, mostrar que causas não faltam para estar sempre em pé e lutar por aquilo que acredita. Foi o alívio necessário que Bob Marley disparou no último disco que gravou em companhia do The Wailers original, com Bunny Wailer e Peter Tosh.


19. “Rat Race” (1976)

Álbum: Rastaman Vibration
A inserção de instrumentos metálicos e backing vocals é a grande sacada dessa música. Naquele momento, o reggae transcendia para algo mais vibrante e envolvente, tragando elementos do jazz norte-americano. E essa canção fala sobre o orgulho Rasta em não disputar a acirrada corrida capitalista que envenenou os homens.


18. “Exodus” (1977)

Álbum: Exodus
Bob Marley deu um grande salto artístico ao respirar ares europeus depois de sofrer um atentado que quase tirou sua vida na Jamaica. Essa canção exemplifica a necessária evasão do artista em busca de novas fronteiras, seja propagando os ideais Rasta ou ampliando seu público pelo mundo.


17. “War” (1976)

Álbum: Rastaman Vibration
De acordo com o biógrafo Timothy White, essa canção foi gravada após a morte do imperador Haile Selassie I, imperador da Etiópia. Por mais que Bob ainda estivesse trilhando caminhos utópico-doutrinários, ele faz uma linda crônica da violência humana, que ganha densidade com as pontuações do baixo.


16. “Put It On” (1973)

Álbum: Burnin’
Essa é clássica em qualquer grupo de amigos. Pelo menos os que gostam da erva. Ela foi gravada inicialmente quando Bob Marley, Peter Tosh e Bunny Wailer ainda eram jovens do gueto que buscavam o estrelato na Jamaica. Mas, das inúmeras versões, fico com essa do Burnin’, que é a mais grooveada.


15. “I Shot the Sheriff” (1973)

Álbum: Burnin’
Famosa na voz de um dos maiores roqueiros da época, Eric Clapton, “I Shot The Sheriff” deu imensa projeção a Bob Marley no universo do rock. Os jovens brancos americanos e europeus viram nessa canção a porta de entrada para conhecer aquele que seria a futura voz da Jamaica pelo mundo inteiro.


14. “Work” (1980)

Álbum: Uprising
Aqui, Bob Marley mostrou como as guitarras funk e a sincronia com baixo, que lembraria muito bem uma interação entre os irmãos (que tocaram com James Brown, Phelps e Bootsy) Collins, funciona lindamente com as temáticas reggae. Ou Bob ou Jah fariam funcionar essa mistura.


13. “Them Belly Full” (1974)

Álbum: Natty Dread
A percussão e os backing vocals introduzem um dos temas mais complicados de se falar em música: a fome. Fica aquela ideia: por mais que a barriga esteja cheia, sempre estaremos com uma fome voraz de alguma coisa mais. Bob estava expressando os ensejos característicos do subúrbio, citando a dança de Jah como refúgio possível. Mas essa mensagem tem uma dimensão muito maior, bem sabemos disso.


12. “Mellow Mood” (1970)

Álbum: Mellow Mood (póstumo, 1996)
Essa linda balada da carreira inicial do rei só foi lançada postumamente. Apesar da voz um pouco tímida e contraída, Bob Marley já dava indícios de que seria um dos maiores músicos de todos os tempos por trazer a verdade em suas canções. Retrato épico.


11. “The Heathen” (1977)

Álbum: Exodus
Meio psicodélica com as inovadoras incursões de guitarra para uma música de reggae, a canção relata a crônica de soldados de Jah que ficaram fortificados após a presença do curador. “Quanto mais quente a batalha, mais doce é a vitória”. Sábias palavras…


E aí, gostou? Logo postarei aqui as 10 primeiras, fiquem atentos!
Confira as 10 melhores canções de Bob Marley.

Jornalista bem-humorado. Colaborou com publicações como Scream & Yell, Revista da Livraria Cultura e Revista Brasileiros. É o cara que mantém o Na Mira do Groove.

Latest posts by Tiago Ferreira (see all)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Deixe um Comentário
3 Comentários to “ESPECIAL Bob Marley: As 20 Melhores Canções (Parte I)”
  1. Duda disse:

    poxa tu não colocou as melhores na minha opnião !
    deixasse de colocar Concrete Jungle, Could be love, Jamming, pimper’s paradise, no woman no cry… entre outras
    só acho ! beijosss

Trackbacks
Veja o que estão falando, que tem relação com este texto...
  1. [...] no Na Mira do Groove está rolando um especial sobre os 30 anos da morte do rei. Tem post sobre as 20 melhores músicas, uma homenagem pseudo-honrosa, a influência da África na sua carreira… e vai rolar ainda [...]

  2. [...] Bob Marley: As 20 Melhores Canções (Parte II) Tweet maio 12th, 2011 Tiago Ferreira da [...]



Comente

ESPECIAL Bob Marley: As 20 Melhores Canções (Parte I) - Na Mira do Groove