Vídeo: Como John Coltrane se tornou um dos maiores do jazz

Entenda como o saxofonista mudou o estilo de tocar o instrumento, 50 anos depois de sua morte

No panteão dos maiores jazzistas de todos os tempos, John Coltrane tem seu lugar guardado. 50 anos após sua morte, em 17 de julho de 1967, o saxofonista é referência quando se fala de uma proximidade ‘espiritual’ com a música – sem falar nas contribuições que deu ao hard-bop e free-jazz.

Após tocar com grupos de Joe Webb e Dizzy Gillespie, entre outros, Coltrane ganhou notoriedade ao integrar o grupo de Miles Davis a partir de 1955. Ficou bem falado após o solo de “‘Round About Midnight” (1957) e fez parte do quinteto que gravou o clássico Kind of Blue (1959).

Ele ainda tocaria com Thelonious Monk, até maturar um estilo próprio com seus primeiros discos solo, como Blue Train (1957) e Giant Steps (1959).

Ao chamar para seu quarteto o pianista McCoy Tyner e o baterista Elvin Jones, Coltrane gravou alguns de seus melhores trabalhos – incluindo o irretocável A Love Supreme (1964), tido por muitos críticos como sua obra-prima.

Para saber mais sobre a obra do saxofonista, confira o vídeo abaixo (para inscrever-se no nosso canal do YouTube, clique aqui):

Preparamos também uma playlist especial com sons de várias fases de Coltrane (ah, e siga o nosso canal pelo Spotify também!):

Artistas John Coltrane

Share this post

Tiago Ferreira

Editor do Na Mira desde 2010 - que, além de site, também é canal do YouTube e Embaixador Spotify. Já trabalhei como redator de comunicação interna, produtor de conteúdo da B2W (Americanas, Submarino e afins) e repórter de entretenimento, ciência e tecnologia no Vix.com. Também sou colaborador eventual da Revista da Cultura (da Livraria Cultura).

Sem Comentário

Adicione um comentário