Matheus Borges, o cara por trás do projeto Nosso Querido Figueiredo

Nosso Querido Figueiredo clama o fim da juventude

Novo disco do projeto de Matheus Borges retrata o impacto da intolerância e polarização sobre o indivíduo

Gravadora: Independente
Data de Lançamento: 13 de novembro de 2017

Matheus Borges é um cara atento – tão atento que costuma lançar singles e EPs com o Nosso Querido Figueiredo ao mesmo tempo que estoura no Brasil e no mundo casos de intolerância, nas redes sociais e fora delas.

Seu novo disco, Juventude, é uma reflexão pessoal diante deste cenário polarizado. Borges evoluiu sua musicalidade lo-fi, aproveitando-se de elementos pós-punk que casam com a produção vocal caseira.

De fato, o que realmente importa em Juventude são as letras. E elas são bem contundentes. Em “Para Vencer na Vida Não Precisa Ser Rebelde”, ele deixa a posição demarcada: ‘Não privatize, verbalize, nem tente deter/Minha vontade e a mocidade dos que querem só viver’. “Homens Pequenos”, por outro lado, mostra o impacto desse macroambiente nas pessoas, concluindo: ‘Como a vida é frágil/Se você se importa com alguém‘.

Ansiedade em Porto Alegre

Borges disse que a música “Juventude” surgiu “na minha cabeça” há mais ou menos uns dois anos. Direto de Porto Alegre (RS), ele atribuiu à ansiedade o fato de estar envelhecendo, mas não necessariamente amadurecendo.

“Eu acompanhava os acontecimentos do Brasil e do mundo nos noticiários, ao mesmo tempo em que lidava com minha própria ansiedade, minha própria depressão sazonal – não tão incomum entre os habitantes desta cidade que passa semanas sem receber ao menos um raio de sol nos meses de julho ou agosto”, disse o compositor.

Em 14 canções, Nosso Querido Figueiredo levanta mais questionamentos do que conclusões acerca do que clama como ‘fim da juventude’ – tanto que a canção “Esse é o Som do Fim da Juventude” é um instrumental soturno, uma synth-music desesperançada.

“Afinal de contas, o que é a juventude?”, questiona Borges. “É um recorte temporal na vida de alguém ou simplesmente um estado de espírito?”.

Ouça o álbum Juventude abaixo:

Share this post

Tiago Ferreira

Editor do Na Mira desde 2010 – que, além de site, também é canal do YouTube e Embaixador Spotify. Já trabalhei como redator de comunicação interna, produtor de conteúdo da B2W (Americanas, Submarino e afins) e repórter de entretenimento, ciência e tecnologia no Vix.com. Também sou colaborador eventual da Revista da Cultura (da Livraria Cultura).


Mais artigos para você:


Sem Comentário

Adicione um comentário