A eletrônica e o dia a dia no novo disco do Ceticências: Deus Sabe

3º álbum de projeto de Cadu Tenório e Sávio de Queiroz vai do dark-ambient ao power-house

O terceiro disco do Ceticências compreende o ritmo como um espectro. O ambient e o techno estão lá, mas vêm de barulhos cotidianos, como se fossem células que se movimentassem à própria maneira nessas múltiplas vidas que nos cercam.

Ao lado de Sávio de Queiroz, Cadu Tenório reativa seu projeto de música eletrônica, fazendo com que a essência musical do gênero se misture de vez com as repetições habituais que nos deparamos quando saímos de casa, vamos à rua, partimos pro trabalho.

Paulatinamente, “Virtual Sunrise” dá essa ideia de interação de sons que queremos, com sons do nosso cotidiano. A dinâmica de “Drugs & Homossexualism” é arrebatadora, porque vai do dark-ambient ao power-house numa pegada Ben Frost que não demora para se dissolver em algo parecido com Rustie.

O disco tem oito faixas e sucede Branco (2014). Todas as faixas foram compostas, gravadas e produzidas pelo Ceticências. A mixagem é de Pedro Manara, e a masterização, de James Plotkin.

O saxofonista Marc Vilanova Pinyol colaborou nas faixas “Deus Sabe #1”, “Gás” e “Deus Sabe #2” – que já ganhou clipe, com colagens de Felipe Barsuglia.

Ouça Deus Sabe na íntegra, no player abaixo. Para fazer o download gratuito, visite o BandCamp do selo Domina.




Share this post

Tiago Ferreira

Editor do Na Mira desde 2010 - que, além de site, também é canal do YouTube e Embaixador Spotify. Já trabalhei como redator de comunicação interna, produtor de conteúdo da B2W (Americanas, Submarino e afins) e repórter de entretenimento, ciência e tecnologia no Vix.com. Também sou colaborador eventual da Revista da Cultura (da Livraria Cultura).


Mais artigos para você:


Sem Comentário

Adicione um comentário