Playlist: Jazz brasileiro danado, com Dom Salvador, Eliane Elias, Paulo Moura…

Moacir Santos, Ivo Perelman, Marlui Miranda e mais numa seleção com mais de 40 músicas no Spotify

*Imagem de Dom Salvador no piano, com o Rio 65 Trio, ao lado de Sérgio Barrozo (baixo) e Edson Machado (bateria)

O jazz nacional é um campo vasto, muito vasto. Tão vasto, quanto misterioso. Muito identificado à bossa nova e, consequentemente, ao cool-jazz, o pouco que se sabe de sua expressividade a nível Brasil se restringe a nomes em torno de Tom Jobim, Moacir Santos e Pixinguinha –três ótimos compositores, mas que não representam a totalidade da produção do gênero por aqui.

Dia desses fui indagado sobre o que recomendaria a ouvir de jazz nacional. Primeiramente, focar a produção em um só país é complicado, principalmente em um gênero tão universal como o jazz.

Então, passei a fuçar os serviços de streaming. Direitos autorais e catalogação musical são extremamente complicados em terras nacionais, e o jazz foi prejudicado nisso aí.

Há pouco material de Moacir Santos, Letieres Leite e Orquestra Tabajara no caso das big bands. Marlui Miranda, única por sua abordagem indígena muito próxima ao jazz, também tem pouco material. O mesmo acontece com Trio 3 e contemporâneos essenciais, como Romulo Alexis (que não disponibilizou nada nos serviços de streaming) e Lavoura (que só tem um disco no Spotify).

Então, além das limitações referenciais, há limitações de disponibilidade nas ferramentas.

Mas, seguimos em frente e construímos uma playlist carinhosamente intitulada Jazz Brasileiro Danado, que serve como introdução a alguns clássicos e poucos novos.

Nossa abordagem inclui Azymuth e Banda Black Rio nesse meandro – porque, afinal, de groove eles entendem – mas não deixamos de mencionar caras essenciais como Paulo Moura, Eumir Deodato, Victor Assis Brasil, Doddo Silva, Duduka da Fonseca, Raul de Souza, Ivo Perelman… Enfim, há um universo dentro de uma só nação.

Dê o play, descubra, pesquise mais e se divirta:

Share this post

Tiago Ferreira

Editor do Na Mira desde 2010. Já trabalhei como redator de comunicação interna, produtor de conteúdo da B2W (Americanas, Submarino e afins) e atualmente sou repórter de notícias, ciência e tecnologia no Vix.com. Também sou colaborador eventual da Revista da Cultura (da Livraria Cultura).

Sem Comentário

Adicione um comentário