Run-the-Jewels_RTJ2

Run the Jewels | RTJ2

Killer Mike e El-P provam por que formam a melhor dupla de hip hop da atualidade

Gravadora: Mass Appeal
Data de Lançamento: 27 de outubro de 2014

Download gratuito pelo site oficial

Não tem nem dois anos que Killer Mike e El-P se reuniuram pela primeira vez como Run the Jewels e já provocaram questionamentos outrora tidos como axiomas: será que duplas como Snoop Dogg e Dr. Dre, Big Boi e Andre 3000, Jay-Z e Kanye West estão longe de serem superadas?

Sem o desnecessário panteão imaginário que se fez sobre tais duplas, o Run the Jewels projetou um marketing próprio que muito revela sua característica musical: lançou os dois discos para download gratuito. Em RTJ2, especialmente, deram a possibilidade de fomentar via crowdfunding edições escrachadas que incluem remix com miados de gatos (sim, eles conseguiram!) e aloprar “qualquer um que tenha te injustiçado por meio de séries humilhantes e táticas viciosas” com rimas improvisadas.

Noutras palavras, Run the Jewels é um foda-se bem dado a majors como Def Jam, que sustenta o mercado hip hop tal qual um monopólio. Tanto Killer Mike como El-P chegaram onde chegaram sem o apoio direto da gravadora de Rick Rubin; o primeiro teve ascensão após participar de uma faixa de Speakerboxxx/The Love Below (2003) – até hoje o disco mais vendido do Outkast – e depois foi conquistando audiência aos poucos com seus discos; El-P iniciou nos anos 1990 com o grupo independente Company Flow, onde desenvolveu bastante técnicas de produção. Após três discos, arriscou carreira solo.

Dizer que não conhece hoje o trabalho do Run the Jewels é praticamente um desperdício. Com irreverência, bom humor, boas sacadas criativas, discos diretos ao ponto e simbiose estarrecedora, Killer Mike e El-P formam atualmente a dupla inatingível do hip hop atual.

Tal indício já era apontado no ótimo Run the Jewels. A RTJ2 cabe o papel de demarcar um território vago desde antes de Watch the Throne (2011): Kanye e Jay dizem estar no topo porque tentam convencer o ouvinte com uma proposta musical hedonista; Killer Mike e El-P têm rimas políticas que atacam de modelos magricelas ao estilo de vida em Nova York na bombástica “Close Your Eyes (And Count to Fuck)” e zoam os rappers com jogos intrincados de rima – como se vê em “Blockbuster Night Part 1”.

O appeal do duo é suficientemente gigante para sustentar um álbum inteiro. Nada de interlúdios, falações, agradecimentos, nada disso. São pouco mais de 30 minutos de muita pancada na orelha: na massiva “Oh My Darling Don’t Cry”, remontam à agressividade de Ice Cube com a matadora assertiva: ‘eu rimo e fodo!’; “All My Life” cita Don Draper, do seriado Mad Men, a morte de Paul McCartney e hobbits como fantasias de uma vida curta; e “Angel Duster” habita na esfera de RAP Music (2012), o mais conhecido disco de Killer Mike, e encerra ‘com um aceno para os mestres’ sem abandonar as pinceladas críticas contra Igreja, Estado e a sociedade.

Agora, quanto às participações… Claro, a primeira a se destacar é Zack de La Rocha, em “Close Your Eyes (And Count to Fuck)”. O ex-vocalista do Rage Against the Machine, que raramente aparece em faixas de outros artistas, impacta logo pelo refrão. A mais marcante faixa de RTJ2 é uma bomba alarmante, que parece ter vindo dos resquícios de The Battle of Los Angeles (1999). É devastadora, pede volume máximo. Sai fumaça e exige urros humanos.

A participação de BOOTS no refrão de “Early” coloca o R&B num carro de Velozes e Furiosos. A bateria de Travis Barker em “All Due Respect” se assemelha a pipocos de tiros – e olha que o icônico membro do Blink-182 nem precisa esforçar sua técnica. “Crown” traz a preguiçosa psicodelia do Foxygen, banda de Diane Coffee, a uma possibilidade elegíaca de abordar a música do Run the Jewels. É a mais estranha faixa do disco, mas boa o suficiente para mostrar que limitação musical passa longe, muito longe do dom da inquietude artística e comportamental da m… – repito! – melhor dupla de rap da atualidade.

Estrondoso!9.5
Tracklist:

01 Jeopardy
02 Oh My Darling Don’t Cry
03 Blockbuster Night Part 1
04 Close Your Eyes (And Count to Fuck) [ft. Zack de la Rocha]
05 All My Life
06 Lie, Cheat, Steal
07 Early [ft. Boots]
08 All Due Respect [ft. Travis Barker]
09 Love Again (Akinyele Back) [ft. Gangsta Boo]
10 Crown [ft. Diane Coffee]
11 Angel Duster

Melhores Faixas: "Oh My Darling Don’t Cry", "Blockbuster Night Part 1", "Close Your Eyes (And Count to Fuck)", "All Due Respect", "Angel Duster".
9.5

Share this post

Tiago Ferreira

Editor do Na Mira desde 2010. Já trabalhei como redator de comunicação interna, produtor de conteúdo da B2W (Americanas, Submarino e afins) e atualmente sou repórter de notícias, ciência e tecnologia no Vix.com. Também sou colaborador eventual da Revista da Cultura (da Livraria Cultura).

Poste um novo comentário